Governo emite nota a imprensa com reafirmação da declaração de Robinson 

A respeito da repercussão de declarações sobre a cobertura da imprensa com relação a casos de violência no Rio Grande do Norte, o Governo do Estado vem a público esclarecer que:

 

1 – O governador Robinson Faria sempre manteve uma relação não só de respeito, mas de amizade com a imprensa potiguar. É a imprensa uma das grandes parceiras para o desenvolvimento do Rio Grande do Norte e não houve da parte do governador a intenção de desmerecer o sério trabalho jornalístico dos veículos de comunicação do nosso Estado;

 

2 – Ao comentar a cobertura da imprensa na área de segurança, o governador demonstra preocupação com a disseminação da sensação de medo à população, desproporcional à realidade, que já é duríssima;

 

3 – O combate à violência é responsabilidade do governo, que tem assumido com coragem, postura de acompanhamento e cobrança permanentes e disposição de vencer essa guerra, reflexo de uma problemática que aflige todo o país;

 

4 – Não há como retomar o sentimento de segurança e paz sem uma aliança inquebrantável entre governo, imprensa e sociedade.

 

Assessoria de Comunicação

Governo do Estado do RN

Sinmed emite nota sobre a insegurança no RN

O Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte vem a público cobrar das autoridades providências urgentes no sentido de estabelecer controle na violência desenfreada e crescente que atinge os cidadãos indefesos do nosso Estado. Apesar do problema ser nacional, com mais de cinquenta mil assassinatos por ano, no Rio Grande do Norte os níveis alcançaram patamares inauditos após as fugas de alcaçuz que despejaram nas ruas de nossa capital centenas de presos de alta periculosidade, ainda não recapturados. Assassinatos, roubo de carros e motos e arrastões colocam toda sociedade em sobressalto e exigem que soluções sejam encontradas para coibir a violência e impedir o luto que hoje se espalha pelas famílias de nosso povo. O Sinmed RN e toda sociedade desarmada e indefesa vem cobrar do governo e dos poderes da República:

1. Que a Polícia seja equipada, armada, treinada e em número suficiente para enfrentar o crime organizado que ameaça a sociedade.
2. Que o judiciário seja rápido na aplicação rigorosa da lei e a pena imposta duramente para permitir o combate à violência e retirar da sociedade os criminosos que a ameaçam.
3. Que a pena seja efetivamente cumprida pelos criminosos, o crime seja punido e não fique a sensação de que o crime compensa.
4. Que o legislativo aperfeiçoe as leis com penas severas e criminosos de qualquer idade, sejam adequadamente punidos por seus crimes.
5. Que seja desmantelado o crime organizado e as quadrilhas que hoje infestam nosso estado.
6. Que sejam colocadas barreiras policiais nas principais saídas de Natal para não permitir fugas de criminosos.
7. Que Rondas e Patrulhas circulem pelas ruas, para mostrar a disposição do governo de enfrentar o crime, e possam reagir e enfrentar com determinação e firmeza os criminosos.
8. Que se decrete estado de calamidade na segurança pública e que forças tarefas sejam montadas para frear a situação de descontrole atual.
9. Que o julgamento pelo judiciário e a punição dos crimes seja célere, dura e certa para o criminoso sentir que o crime não compensa.
10. Combater o tráfico de drogas, implementar vigilância e abordagem sobre ônibus, vans, motos ou carros suspeitos a qualquer hora para retirar de circulação criminosos e evitar crimes planejados ou em andamento. A Sociedade Brasileira está a mercê do crime organizado e ou o Estado Brasileiro assume o controle de sua principal função que é impor a ordem, a segurança e garantir a vida de seus cidadãos, ou perderá a credibilidade, a confiança e o respeito do povo, o que poderá nos mergulhar num mar ainda mais tenebroso de dificuldades.

Natal, 09 de Agosto de 2017

Dr. Geraldo Ferreira – Presidente do Sinmed RN

 

Sindicato dos Jornalistas reprova declarações do Governador em culpar imprensa pela insegurança

NOTA

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Norte reprova veementemente a declaração dada nesta terça-feira (8) pelo Governador Robinson Faria de que o trabalho da imprensa potiguar é um dos responsáveis pela sensação de insegurança nos cidadãos potiguares. A declaração do governador desrespeita toda a classe jornalística, além de querer mascarar uma realidade vista nas ruas do Estado e confirmada através de dados de pesquisas e instituições como o Atlas da Violência e o Observatório da Violência Letal Intencional do RN (OBVIO).

Num estado onde o número de assassinatos já se aproxima dos 1.500 só em 2017 e que facções impõem medo em diversas partes do Estado, não cabe à imprensa resolver este problema. Isto deve ser uma postura de Governo. À imprensa cabe noticiar os fatos e não omitir informações e dados públicos à sociedade, e é o que colegas jornalistas têm feito todos os dias.

Minutos após a equivocada declaração do Governador a uma emissora de rádio de Natal, um tio da primeira dama, Julianne Faria, foi baleado durante o enésimo assalto a uma farmácia da capital potiguar. Precisa dizer algo mais?

Reforçamos nosso apoio aos colegas jornalistas em seu trabalho vital para a sociedade potiguar, e nos solidarizamos com as milhares famílias e vítimas de violência no Rio Grande do Norte.

 

robinson_faria